segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Sim, a impugnação é possível

Essa notícia você só vê no UOL:

27/10/2008 - 19h04
Em balanço final, juiz do TRE-RJ diz que tráfico e panfletos anônimos marcaram eleições
Diana Brito
Especial para o UOL
Do Rio de Janeiro

Milícias, tráfico e panfletos anônimos marcaram estas eleições municipais de 2008 no Rio de Janeiro, segundo o juiz Luiz Márcio Pereira, coordenador da fiscalização do TRE (Tribunal Regional Eleitoral).

A pedido do UOL Eleições, ele fez, nesta segunda-feira (27) um "balanço final" dos principais fatos dessa campanha. O juiz afirmou que a investigação sobre os folhetos irregulares contra Fernando Gabeira (PV), um dos temas que dominou o segundo turno, pode levar à impugnação do mandato do prefeito eleito, Eduardo Paes (PMDB).

Os panfletos estão em poder do Ministério Público para serem avaliados. As investigações conduzidas pela Justiça Eleitoral pretendem identificar o autor deles.

"O tempo todo nós trabalhamos para tentar identificar os autores dessa campanha baixa, apócrifa, onde não havia possibilidade de defesa daquele que estava sendo agredido. Houve abuso do poder econômico e até mesmo do poder político", disse Luiz Márcio Pereira.

Outro assunto importante na campanha foi a violência e a coerção de eleitores pelas milícias. "O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) fez o que foi possível e encaminhou as Tropas Federais para o Rio", disse Pereira.

Uso da máquina pública


No dia das eleições do segundo turno (26), fiscais do TRE apreenderam kits lanche, com os logotipos dos governos estadual e federal em um comitê de Eduardo Paes, em Madureira, na zona norte da cidade. Os kits tinham identificações com as escritas: "lanche" e "segundo tempo". Para o juiz eleitoral Luiz Márcio Pereira, "essa pode ser uma prova de uso da máquina pública".

"Na apreensão tinha material irregular e bolsas plásticas com os logotipos dos governos estadual e federal. Tudo vai ser avaliado pelo Ministério Público Eleitoral", afirmou o coordenador de fiscalização do TRE.

A assessoria de Paes negou que a propaganda ilegal recolhida em Madureira (zona norte) pertença ao candidato e informou que ele tem apenas um comitê que fica no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste do Rio.

Luiz Márcio Pereira concordou com a assessoria de Paes, mas disse que o comitê é da vereadora eleita Vera Lins (PP), aliada do peemedebista, e "estava sendo usado como base para a campanha de Eduardo Paes na zona norte".

No comitê de Madureira, também foram encontrados panfletos apócrifos com fotos de Fernando Gabeira (PV) e do prefeito Cesar Maia (DEM). Na semana passada, fiscais eleitorais apreenderam os mesmos folhetos, mas com a assinatura do PT, PDT, PC do B e PSB.

Um comentário:

Reginna Sampaio disse...

Eleições sujas , como varrer essa sujeira toda agora ?